www.uniaonet.com/afserraleoa.htm

SERRA LEOA .
Geral
 
A guerra civil entre 1991 e 2002, entre o Governo e a Frente Unida Revolucionária resultou em dezenas de milhares de mortes e no deslocamento de mais de 2.000.000 de pessoas (mais de1/3 da população), muitos dos quais são agora refugiados nos países vizinhoos. Com o apoio das Nações Unidas, através das Forças de Paz, e contribuições do Banco Mundial e da comunidade internacional, o desarmamento de ambas as partes foi alcançado. Eleições nacionais aconteceram em maio de 2002 e o governo está reestabelecendo sua autoridade aos poucos. Entretanto, a retirada gradual das forças da ONU e situação de frágil segurança na vizinha Libéria podem ser desafios grandes para a manutenção da estabilidade em Serra Leoa.  
 
 
Povos
 
Atlântico Oeste (11): 45,3%
Mande (8) 43,8%
Kwa (3): 1,3%
Krio (Crioulo): 8,6% - Descendentes de escravos libertos e população urbana sem tribos
Outros (Estrangeiros): 1%
 
 
Economia
 
Rica em recursos naturais: diamantes, ouro, minério de ferro, etc. Apesar de má administrada e da corrupção, houve certa prosperidade até 1991. A queda do país na anarquia fez com que a economia entrasse em colapso. O controle dos campos de diamante pelos rebeldes assegura a continuação do conflito. Provavelmente, é o país mais pobre e mais desesperado do mundo atualmente.
 
Política
 
Fundada como lar de escravos livres, em 1797. Independente da Grã-Bretanha em 1961. O ataque da guerra civil da Libéria em 1990 precipitou o colapso do governo. Uma série de golpes militares e guerrilhas resultou em esforços para controlar os campos lucrativos de diamantes na parte sudeste do país. Somente através da intervenção da Nigéria, da Organização dos Estados Africanos (OSA), das Nações Unidas e dos Britânicos, as forças rebeldes foram impedidas de controlar o país. Serra Leoa parou de funcionar como um estado viável e a anarquia reina em muitas partes do país.

Religião
 
Liberdade religiosa. A influência do islamismo tem crescido de forma estável, mas o grande poder das religiões étnicas, ocultismo, sociedades secretas e maçonaria está por detrás deste caos.
 
Extras
O site do governo de Serra Leoa aparentemente está fora do ar, mas podia ser acessada no endereço www.sierra-leone.gov.sl.
Notícias do País podem ser encontradas no “Sierra Leone News” (
www.sierraleonenews.com), enquanto fatos e fotos sobre o país estão disponíveis no “Sierra Leone Web” (www.sierra-leone.org).
Foto:  Freetown
 
Segunda, 23 
A paz ainda está por se firmar. 
Durante o tratado de paz de 2002, a reconstrução nacional teve início, mas o tema dos diamantes e sua mineração ilegal ainda precisa ser resolvido. Ore para que a ganância seja reduzida e a sanidade prevaleça.
 
Terça, 24 
Agradeça pela Conferência de Oração e Reconciliação, em 2000. 
Ali estiveram reunidos 1.200 líderes cristãos de quase todas as denominações, ou seja, cerca de 80% dos líderes cristãos nacionais. Houve um profundo arrependimento de todos os pecados da nação e o fracasso da Igreja em confrontar a feitiçaria, a imoralidade e as sociedades secretas dentro e fora da Igreja. Ore para que este novo começo possa resultar na cura e transformação da terra por intermédio de uma Igreja firme nA Rocha e que resplandeça a Luz de Jesus naquela nação.
 
Quarta, 25 
O poder não desafiado do ocultismo está por trás da ganância e crueldade.  
E também é razão da impotência da Igreja local. Muitos cristãos se envolveram em coisas ilícitas nestas áreas; o nominalismo e o pecado são os resultados disso. Ore para que estes poderes sejam vencidos, que a influência das sociedades secretas possa ser quebrada, e que os pactos feitos com os poderes demoníacos sejam renunciados.

Quinta, 26
 
Ore pelos ministérios de restauração. 
Eles são extremamente necessários, pois a nação e a Igreja lutam pela reconstrução. Quase todos os ministérios cristãos sofreram perdas de propriedade e de pessoal. E muitas instituições tiveram de fechar. Ore por: 
Associação Evangélica de Serra Leoa: Tornou-se um ponto central da cooperação cristã no país e dos projetos para este tempo de reconstrução;
Uma nova visão de evangelismo compassivo: Freetown tornou-se um aglomerado de refugiados de todos os países vivendo na miséria;
Preparo por parte da Igreja para lidar com as milhões de pessoas traumatizadas e empobrecidas;
Luta contra a AIDS. A doença está crescendo assustadoramente. Em 2.000, sabia-se de 70.000 casos e mais de 56.000 crianças estão órfãs por causa dela.
 
Sexta, 27 
Ore por ministérios voltados para crianças e jovens.  
As crianças vítimas da guerra sofrem demais. Muitas perderam tudo o que tinham e vivem “por si só”, completamente sozinhas. Há as que foram obrigadas a se tornar assassinas durante a guerra (mais de 6.000) e as órfãs. Ore pelos ministérios que têm tentado alcançá-las, para que sejam bem sucedidos e estas crianças possam encontrar em Cristo alívio para seu pesado fardo de vida.  
Também o ministério com jovens nunca foi tão necessário. Ore pelos impactos realizados nas escolas e pelos trabalhos com universitários, embora  a universidade tenha sido fechada. Ore para que os cristãos com nível superior causem um impacto significativo na nação.
 
Sábado, 28 
A falta de liderança preparada e capacitada tem se tornado cada vez mais crítica. 
Seminários e faculdades teológicas foram fechados. Ore pela retomada total do treinamento e da chamada de obreiros para a seara. Interceda para que líderes capacitados de outras nações possam dedicar-se a ministrações de curto prazo aos cristãos locais, como uma maneira de gerar edificação entre o Corpo naquela Nação, e ore para que obreiros nacionais também tenham oportunidade de estudarem fora e se capacitarem para servirem com mais excelência em seu país.
 
 
Domingo, 29 
Ore pelos missionários Glauco e Adriana. 
Estes missionários estão baseados na Missão Servos, em São Paulo/SP e têm se preparado para servirem em Serra Leoa. Ore para que o Senhor proveja todas as coisas e desembarace-lhes os caminhos para que cheguem a este propósito, e uma vez estando lá, sejam realmente usados pelo Senhor para ministrarem a Palavra àquele povo tão necessitado da Graça das Boas Novas.

Vida marginalizada em Serra Leoa É grande a disparidade entre as rendas urbana e rural em Serra Leoa, onde os padrões de vida rural são marginais.
A maioria dos moradores do campo vive em casas construídas de material do local e cultiva a maior parte do alimento que consome. Em numerosos grupos étnicos, as mulheres mantêm uma considerável liberdade em seus afazeres e existe uma clara distinção de trabalho entre os sexos. Os homens são responsáveis pela caça, pesca e escavação de poços, enquanto as mulheres tiram água, coletam madeira, preparam a comida e cuidam das crianças. A maioria dos numerosos grupos étnicos que habitam as savanas do norte de Serra Leoa tem orquestras de xilofone, que se apresentam durante as cerimônias e rituais realizados em suas respectivas aldeias. O karanko toca uma espécie de xilofone chamado balangi, que tem 16 barras dispostas em um quadrado de madeira com caixas de ressonância feitas de cabaça para cada barra. A melodia percussiva desse instrumento é aumentada por tambores, sinos de ferro, um tambor aberto de bambu e grandes frame drums que, juntos, formam uma complexa e vibrante colagem polifônica de sons. Os xilofones são tradicionalmente tocados pelas mulheres, que também lideram o canto. Neste exemplo, um grupo de mulheres se apresentam durante uma cerimônia de casamento.

Serra Leoa

Nome oficial República de Serra Leoa
Capital Freetown Área 71.740 km² 27.699 mi²
Áreas urbanas (População) Freetown 470.000 (1994 estimativa)
Bo 269.000 (1994 estimativa)
População 5.080.004 (1998 estimativa)
Taxa de crescimento populacional 4,01% (1998)
Densidade demográfica 71 habitantes por km²
183 habitantes por mi²
Percentual de população urbana 35% (1997)
Percentual de população rural 65% (1997)
Expectativa de vida Total 48,6 anos (1998)
Mulheres 51,7 anos (1998)
Homens 45,6 anos (1998)
Taxa de mortalidade infantil 129 mortes por 1.000 nascimentos com vida (1998)
Índice de alfabetização Total 31,4% (1995) Mulheres 18,2% (1995) Homens 45,4% (1995)
Grupos étnicos Africanos negros, incluindo o Mendeden, Temneden e Limbaden; Krioden (Crioulos); Libaneses
Idiomas Inglês (oficial), Krio, Mende, Temne, outros idiomas nativos
Religiões Muçulmana 60% Crenças nativas 30% Cristianismo 10%

Governo
Um golpe militar derrubou o governo civil (eleito em fevereiro de 1996) em maio de 1997. Forças lideradas pela Nigéria expulsaram a junta militar em fevereiro de 1998, possibilitando uma eleição democrática para o governo Independência 27 de abril de 1961 (do Reino Unido) Constituição 1° de outubro de 1991; subseqüentemente emendada várias vezes; a constituição permite uma atividade política multipartidária Direito de voto Universal para os maiores de 18 anos Membro de ACP, BAD, Comunidade Britânica, CCA, CEPAO, FAO, G-77, AEAI, BIRD, ICAO, OICa, CIULC, OIC, ICRM, BDI, IFAD, IFRCS, OIT, FMI, OMI, INTELSAT (não signatário), INTERPOL, COI, UIT, União do Rio Mano, MNA, OUA, OCI, ONU, UNCTAD, UNESCO, UNIDO, UPU, CMT, FSM, OMS, OMPI, OMM, OMT, OMC
Economia A agricultura em uma economia global Produto Interno Bruto (PIB) (US$) 823 milhões de dólares americanos (1997) PIB per capita (US$) 170 (1997) PIB por setor econômico PIB, parcela da agricultura 50,1% (1997) PIB, parcela da indústria 20,8% (1997) PIB, parcela dos serviços 29,1% (1997) Orçamento nacional (US$) Receita 75,71 milhões de dólares americanos (1996) Gasto Público 139,2 milhões de dólares americanos (1996) Unidade monetária 1 leone (Le) equivale a 100 centavos Exportações Rútilo, bauxita, diamantes, café, cacau, pescado Importações Gêneros alimentícios, maquinaria e equipamentos, combustíveis Principais parceiros comerciais (exportações) Estados Unidos, Reino Unido, Bélgica, Alemanha, outros países da Europa Ocidental Principais parceiros comerciais (importações) Estados Unidos, países da União Européia (UE), Japão, China, Nigéria Indústrias Mineração (diamantes, bauxita, rútilo), manufaturados em pequena escala (bebidas, têxteis, cigarros, calçados), refinaria de petróleo Agropecuária Baseada amplamente na agricultura de subsistência; cultivos comerciais: café, cacau; a colheita do arroz cobre 80% das necessidades domésticas Recursos naturais Diamantes, minério de titânio, bauxita, minério de ferro, ouro, cromite
Fontes de informações: Seções Informações Básicas e Povo Os dados regionais são dos departamentos de estatística de cada país. População, taxa de crescimento populacional, mortalidade infantil e dados de expectativa de vida são do United States Census Bureau, International Programs Center; banco de dados International, 1998; (www.census.gov). Os dados de densidade demográfica são dos departamentos de estatística de cada país e do United States Census Bureau, International Programs Center; banco de dados International, 1998; (www.census.gov). Os dados populacionais das áreas urbanas (cidades) são dos departamentos de estatística de cada país. Os índices de alfabetização são do banco de dados da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), 1998; (www.unesco.org). Os dados sobre populações rurais e urbanas são da Organização para Alimentação e Agricultura (FAO) das Nações Unidas (ONU), banco de dados FAOSTAT, 1998; (www.fao.org). As informações sobre grupos étnicos, idiomas, religiões, governo, independência, constituição e direito de voto são, na maior parte, da CIA 1995 World Factbook, CIA 1996 World Factbook e CIA 1997 World Factbook. Seção Governo Os dados sobre classificação quanto a direitos políticos e liberdade civil são do Freedom in the World: The Annual Survey of Political Rights and Civil Liberties, 1997-1998, fornecido pela Freedom House (www.freedomhouse.org) e Transaction Publishers. Seção Economia Os dados sobre Produto Interno Bruto (PIB), PIB per capita, PIB por setores econômicos e Orçamentos Nacionais são do Banco Internacional para a Reconstrução e o Desenvolvimento (BIRD)/banco de dados do Banco Mundial, 1998; (www.worldbank.org). Nota: Em virtude de arredondamentos, as somas podem não totalizar 100%.

Aspectos naturais se limita ao norte e leste com a Guiné, no sudeste com a Libéria, e a sudoeste e oeste com o Oceano Atlântico. Área 71.740 km² (27.699 mi²) Tamanho comparativo Menos da metade do tamanho da Tunísia Topografia Tópicos relacionados Montanhas Topografia Tipos de mapas Físico Uma planície costeira baixa e pantanosa na Serra Leoa se estende desde o Oceano Atlântico até o interior. Mas as colinas dominam a Península Serra Leoa. Para leste, a superfície se eleva desde a planície costeira até o planalto, no norte e um terreno ondulado no sul. Várias pequenas cadeias de montanhas se erguem perto das fronteiras norte e leste, alcançando uma altitude máxima de 1.945 metros (6.381 pés) no Bintumani nas Montanhas Loma. Principais rios e lagos Tópicos relacionados Rios Dos inúmeros pequenos rios que banham o país, os mais importantes são Kaba, Rokel, Jong, Sewa e Moa. A maioria somente é navegável durante a estação chuvosa. Clima Tópicos relacionados Florestas tropicais úmidas Tempo e clima Tipos de mapas Precipitação de julho Precipitação de janeiro A Serra Leoa tem clima tropical com uma temperatura anual média de aproximadamente 27°C (cerca de 81°F). A precipitação anual média é superior a 3.810 mm (superior a 150 polegadas) ao longo da costa, diminuindo para cerca de 2.032 mm (aproximadamente 80 polegadas) no interior setentrional. A maior precipitação se dá entre maio e outubro. Questões ambientais Tópicos relacionados Desmatamento Destruição da vida selvagem e do hábitat Erosão e esgotamento do solo A demanda de alimentos e lenha por parte da crescente população de Serra Leoa, somada à pressão exercida pela indústria madeireira, resultou num certo desmatamento, embora a pressão dessa indústria tenha diminuído nos últimos tempos. Grande parte do hábitat selvagem foi perdido, existindo poucas áreas de terras protegidas. A fauna, portanto, viu-se reduzida, e algumas espécies, nesse local, estão ameaçadas de extinção. O sistema agrícola está sendo destruído, os nutrientes do solo não estão sendo repostos e o solo está se esgotando cada vez mais. Houve certa melhoria em relação à proporção de pessoas que têm acesso à água potável, mas seu número ainda é muito baixo nas áreas rurais.

Participe! Envie-nos seu comentário : iceuniao@uol.com.br - www.uniaonet.com